Como ajudar?

 

• Não tenha medo de falar o nome do nosso filho ou reconhecer a existência do bebê.

• Não pense que,porque tivemos um dia bom e até gargalhamos é porque nossa dor já passou ou porque estamos deprimidos,chorando,inconsoladas é porque ficamos loucas.

. • Não se ofenda se em algum momento você quiser falar sobre a perda e nós fugirmos do assunto, agora ficamos assim cheias de emoções instáveis.

• Não ignore nos ignore,não tenha medo e nem fuga.perder um filho não é contagioso.

Procure ser presente, você não terá necessariamente de ter palavras sabias ou teologia profundas,só sua presença será o bastante

• Não ignore o aniversario de vida ou de morte do nosso filho Essas são datas muito importantes e gostariam que você também se importasse com isso

• Não espere que a dor acabe em seis meses (ou algum outro período de tempo predeterminado). Os primeiros anos serão extremamente traumático.A dor poderá até diminui de intensidade,mas fará sempre parte da nossa vida.

• Não tenha expectativas a respeito do luto nosso luto. O luto é diferente para cada pessoa.Então não nos pressione para seguir.Algumas de nós poderão levar um ano pra sair do luto ,outras anos e anos.Haverá ainda algumas que nunca conseguirão sair do luto.

• Não diga que você tem andando ocupado por isso que você não pode telefonar! Esse provavelmente foi maior acontecimento na nossa vida e saber que não fomos prioridade,doí muito.

• Não pense que dizer que nosso filho agora está com Deus,ajudará muito,somos até gratos por Deus te-los recebidos,mas,ainda assim preferiríamos que eles estivessem aqui conosco.

• Não ignore o pai. Quando você perguntar pela mãe,pergunte também pelo pai,mostre interesse pela dor dele. Se você o ignorar, ele certamente achará que a dor dele não é valida e não tem importância.

• Não ignore os irmãos, mas não tente explicar para eles sobre a perda do seu irmãozinho ou irmãzinha. É de nossa responsabilidade falar sobre esse assunto com nossos filhos.

• Sinta-se disponível para ouvir e não tenha ansiedade de falar.Não cometa o erro de pensar que você tem dizer algo profundo. Na maioria das vezes, o dom de ouvir ou um abraço caloroso pode ajudar mais do que qualquer coisa que você possa dizer.

• Se você quiser perguntar, faça perguntas adequadas. Evite entrar em assuntos delicados,detalhes inconvenientes que normalmente serão mais motivos de fofocas do que de ajuda.Lembre-se o fato é que perdemos um filho,ele partiu pra sempre.Não se a tenha ao como perdemos.No momento que quisermos falar sobre partes delicadas dessa perda,precisaremos de alguém discreto e de confiança e será muito bom poder contar com você.

• Ofereça ajuda de forma tangível e somente se você realmente poder ajudar. Pense em uma ou duas coisas que você poderia ser útil,ajudar e faça.Seremos eternamente gratas por isso.S

• Nos envie uma nota pessoal um cartão ou flores.Ou quem sabe algo que possa desperta nosso interesse em comer ou sorrir,com por exemplo um bom livro.Mas evite a tentação de “pregar” ou encontrar um razão para a morte.

• Ore por nós,pais de luto. Pergunte: “Como posso orar por você agora?” Então lembre-se de orar – e, mantenha-se em oração constante durante os os primeiros meses.

• Meses e até anos depois não haja com se nada tivesse acontecido,faça perguntas simples como por exemplo “Como você tem passado? Você quer falar?Nos deixe saber qeu voce não esqueceu da nossa dor .Telefone,escreva um bilhete,nos convide pra tomar um café,um sorvete…e até um cineminha. Isso nos ajudará a sair do nosso foco,as vezes,obsessivo da morte.

Fonte Revista Eletronica Mulheres feridas que voam

Já falei inúmeras vezes aqui sobre pessoas que não sabem como ajudar e acabam fazendo comentários infelizes, desde que tudo aconteceu já ouvi frase como “foi bom que isso aconteceu quando ela tinha apenas 17 dias e você não era apegada nela” até “Deus que sabe o melhor para todos nós”  sim com certeza sei disso, mas quando você perde um filho, quando seu sentimento de mãe quer seu filho perto, você não consegue aceitar, mesmo sendo uma pessoa de fé, você deu a luz a um filho para ficar próximo de ti e não para nunca mais poder nem toca-lo. Li um pouco a respeito desses comentários e o texto mais próximo do que eu queria dizer é este acima, na realidade não precisamos de palavras e sim de companhia, de amizade….Se você é mãe de anjo saberá bem do que estou falando, e se você é amigo ou parente de uma mãe de anjinho e quer consolar quem você adora, leia esse texto e garanto que você não vai errar. 

AUTHOR: Tatiana Maffini
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.