Minha Pequena

Abracei-te.

Inúmeras vezes.

Desde sempre.

Desde que lembro. Te abracei em alma. Em coração. Proteção. Era o que mais deseja te proporcionar. Quando te idealizei senti minha alma te abraçar. Te envolver e te dar as boas-vindas, enquanto meus olhos viam o pulsar do teu coração ainda minúsculo. Queria garantir teu crescimento. Quando em tantas madrugadas o medo assolou meu peito, em um ato de desespero silencioso, por inúmeras vezes, abracei minha barriga, minhas mãos unidas em cima de meu ventre. Olhava meus braços envolvendo você e em minha ingenuidade pensei poder te esconder. Te esconder de nosso destino. Queria eu como um escudo te poupar do sofrimento. Eu era uma concha, tentando inutilmente proteger sua tão amada pérola. Inconscientemente eu já sabia mesmo acreditando que não suportaria. Só o pensamento de viver sem ti me paralisava. O medo da possibilidade de ser real. E foi…No dia de hoje infelizmente me recordo como em tantos outros que não consegui te proteger. Minha pérola foi levada. E hoje o que resta de minha alma é crosta seca, morta. Como uma concha pressionada violentamente, sendo obrigada a entregar o que ela daria a vida para proteger. Fico aqui. Meio sem sentido de existir. Sobrevivo dia a dia sonhando com os milhões de abraços que jamais vou poder te dar. 

Minha pérola, meu amor, minha pequena, linda e amada Helena.

 

AUTHOR: Tatiana Maffini
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.