Será que Fizemos nossa Parte?

A algum tempo atrás quando parávamos em uma sinaleira eu dava uma esmola a um mendigo, quando compartilhava uma foto de uma criança deficiente no Facebook para que este doasse R$ 0,05 para a família da criança me sentia salvando o mundo, me sentia fazendo minha parte para ajudar os outros, quando assinei uma das petições por um trânsito seguro então, me senti fazendo um favor a humanidade, é assim que nos sentimos né?

Mas hoje percebo que fazer a nossa parte vai muito além disso, para fazer a nossa parte temos que ter a consciência que toda a mudança começa por uma pessoa, que se une a outra pessoa, que se une ainda a mais uma pessoa e assim por diante, temos que saber que tudo o que queremos que mude depende de sabermos que todas a s mudanças começam em nós, como por exemplo a petição sobre um trânsito seguro, seria em benefício a pessoa ou instituição que a criou?

Todos nós precisamos de um trânsito seguro e gostaríamos que isso acontecesse, mas raramente temos a consciência disso, a lei da ficha limpa foi outro exemplo; muitas pessoas que assinaram acreditaram estar fazendo algo de bom para os outros e não apenas para si mesmos. O país é composto por todos nós e os políticos são pagos (e muito bem pagos diga-se de passagem) para administrar, fazer com que tudo funcione, não sou tão hipócrita de dizer que tudo teria que funcionar perfeitamente afinal o Brasil não se controla com um simples livro caixa, são muitas pessoas, muitos problemas.

Quando vi a reportagem exibida em uma emissora de TV sobre cobrança de impostos, temos o valor de impostos de primeiro mundo e qualidade de serviços de países de terceiro mundo, isso muito se deve ao fato da desunião do povo, esses serviços como por exemplo um LEITO DE UTI NEONATAL que dependeu a vida de minha filha. Esse serviço está entre tantos que são nossos por direito, mas infelizmente nos falta consciência, e como contei aqui, eu mesmo no dia em que vi a Helena falecer depois de uma espera de 12 horas por um leito de UTI neonatal, naquele dia olhando para ela me arrependi de nunca ter feito nada, de nunca ter lutado mesmo estando grávida e vendo outros bebês falecendo nas mesmas condições da Helena, nunca tive o pensamento que minha filha poderia precisar… você sempre acha que tudo acontece tão longe, naquele dia eu vi o infortúnio também bate em nossa porta, e hoje se ele bater novamente não quero me arrepender de não ter feito nada mais uma vez.

Digo tudo isso porque ontem li um comentário muito triste que me fez pensar muito nisso tudo à noite, SERÁ QUE ESTOU FAZENDO MINHA PARTE?

Uma pessoa veio expressar o seguinte pensamento “- Porque GASTAR TEMPO com uma coisa que não vai dar em nada, afinal NENHUM político visita redes sociais e mesmo se visitar não vai se comover com UM de tantos problemas e injustiças que existem no Brasil” – claro que concordo plenamente com esse ser, a maior possibilidade é de fracasso em tudo isso, a grande verdade que sei bem é que só sabemos como dói e o quanto estamos errados em ser tão ocupados a ponto de não cobrar para saber onde vai nosso dinheirinho sagrado, que ganhamos com muito suor, a possibilidade de conseguirmos mais leitos de UTI ou da morte da Helena não ser esquecida, não ser apenas mais um número é praticamente ZERO.

Mesmo sabendo de tudo isso, fico aqui horas e horas “gastando” tempo, energia, neurônios e esperanças para que assim EU saiba que faço a minha parte, quando penso que não irá dar certo me bate uma tristeza, um desânimo, mas depois penso no tanto de gente que assinaram a petição, lembro da força da amiga Faby Is que foi quem conseguiu que postassem a história e a petição no jornal do face, e então me volta as forças, antes não mais que 20 pessoas sabiam do sofrimento da minha pequena, hoje só a história dela foram mais de 34 MIL COMPARTILHAMENTOS, 44 MIL VISITAS no blog, 3600 curtidas na página em homenagem a ela.

Mesmo que não haja um leito de uti neonatal a mais em todo o Brasil, com certeza fiz minha parte, não GASTEI horas, dias e meses, eu os OCUPEI fazendo a minha parte conscientizando o máximo de mães e pais possível sobre o grave problema que nossos bebês podem enfrentar se precisarem de um recurso que É NOSSO POR DIREITO, então pessoas não se preocupem não faço isso com a visão somente de políticos, se não já teria desanimado. Já faz quase um ano que estou nessa sem fazer a mínima diferença para nenhum deles, mas hoje diferente de antes da Helena falecer, deito no travesseiro sabendo que fiz O QUE ESTAVA NO MEU ALCANCE para ajudar e conscientizar. Já aproveito a oportunidade para agradecer a todos vocês que tem me ajudado de uma forma ou de outra e agradecer por você ter assinado a petição e é como digo: QUE DESTA LUTA SAIAM GRANDE VENCEDORES OS NOSSOS BEBÊS…

 

AUTHOR: Tatiana Maffini
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.